A inserção da pessoa com deficiência no mercado formal de trabalho

Filipe Segall Tavares

Resumo


O escopo deste trabalho é discorrer sobre a inclusão do deficiente no mercado formal de trabalho à luz da Garantia Constitucional positivado no artigo 7º XXXI. Nesse sentido, visa demonstrar como ao longo da história este dispositivo não tem sido respeitado, tendo estes trabalhadores sofridos os mais variados tipos de discriminação, tanto na vida laboral, como na vida cultural e social. Conclui-se que o maior óbice de incluir a pessoa com deficiência no mercado formal de trabalho é o preconceito arraigado na sociedade, muitas vezes mascarado por práticas paternalistas. Assim, cabe ressaltar que é este o principal instrumento formador da teia que exclui o deficiente do mercado de trabalho. Dessa forma, em oposição a esta, este artigo visa a respaldar a importância de uma “teia ao avesso”, no qual juntamente com os Órgãos Públicos, instituições e adeptos da causa, vem somar, para que possa haver uma mudança efetiva no quadro que hoje se apresenta.

Texto completo:

PDF

Referências


FONSECA, Ricardo Tadeu Marques da. O Trabalho da Pessoa com Deficiência e a Lapidação dos Direitos Humanos uma Ação Afirmativa. São Paulo: LTr, 2006.

FRANSISCHETTO, Gilsilene Passon Picoretti, TAVARES, Filipe Segall, CERQUEIRA, waykson. A inserção da pessoa com deficiência no mercado formal de trabalho: a formação de uma teia social. 2007 – Faculdades Integrada de Vitória – FDV.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

___. Educação como prática da liberdade. 26. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

___. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 29. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

KALUME, Pedro de Alcântara. Deficientes: ainda um desafio para o governo e para a sociedade: habilitação, reabilitação profissional e reserva de mercado de trabalho. São Paulo: LTr, 2005.

MELO, Sandro Nahmias. O direito ao trabalho da pessoa portadora de deficiência: o princípio constitucional da igualdade: ação afirmativa. São Paulo: LTr, 2004.

PAES, José Eduardo Sabo. Fundações e entidades de interesse social: aspectos jurídicos, administrativos, contábeis e tributários. 3.ed. ver.,atual. e ampl. Brasília: Brasília Jurídica, 2001.

ROCHA, Cármem Lúcia Antunes. Ação afirmativa: o conteúdo democrático do princípio da igualdade jurídica. Brasília: Revista de Informação Legislativa, v. 3, n. 131, 1996.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do Tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006. (coleção para um novo senso comum; v.4)

___. Poderá o direito ser emancipatório? Florianópolis: Fundação Boiteaux, 2007.

SÜSSEKIND, Arnaldo. Direito internacional do Trabalho. 3. ed. atual. São Paulo: LTr, 2000.

TOMAZETTE, Marlon. Forma jurídica das entidades do terceiro setor. In: PEIXOTO, Marcelo Magalhães; CARVALHO. Cristiano (Org.). Aspectos jurídicos do terceiro setor. São Paulo: IOB Thomson, 2005.

ZANDONADE, Udno. O Papel do Terceiro Setor na realização dos Direitos Sociais. 2005. 129. Monografia (mestrado em Direito) – Faculdade Integrada de Vitória – FDV, Vitória, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Filipe Segall Tavares

      https://www.sumarios.org/revista/romanitas   http://www.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre

Revista Vox é uma publicação eletrônica semestral mantida pela Faculdade de Direito e Ciências Sociais do Leste de Minas (FADILESTE). ISSN: 2359-5183.
Para melhor visualização recomendamos a resolução mínima de 1024 x 768.