“As ideias fora do lugar”: o caso do movimento Negritude e da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO)

Claudia Kathyuscia Bispo de Jesus

Resumo


O objetivo desse artigo é discutir a influência do pensamento exógeno nos principais movimentos em África: o movimento Negritude e o partido FRELIMO. Além disso, trato das implicações, trazidas com a importação das ideias europeias, no que concerne a ideia de África, bem como os efeitos (contraditórios) desses movimentos nas suas distintas atuações. Pode-se considerar que, a persistência de conceitos universais utilizados pelos movimentos ‒ como raça e gênero ‒ sem considerar os vários elementos presente no bojo das sociedades africanas, corroboraram para o reforço da invenção de África e, sobretudo, na negação e invisibilidade da diversidade cultural africana. Possibilitando, portanto, a permanência do controle e demarcação da ideologia colonizadora.


Texto completo:

PDF

Referências


APPIAH, K. Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. RJ: Contraponto, 1997.

BETTO, Frei. As tarefas revolucionárias da Juventude. São Paulo. Expressão Popular, 2000.

BOAHEN, Albert Adu. A África diante do desafio colonial. In: BOAHEN, A. Adu (editor). História Geral da África- v. VII- África sob dominação colonial. 1880- 1935. São Paulo, Cortez: Brasília, UNESCO, 2007.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento da negritude: uma breve reconstrução histórica. Mediações ‒ Revista de ciências sociais, Londrina, v. 10, n. 1, p. 25- 40, jan. – jun. 2005.

HOUNTONDJI, Paulin. Conhecimento de África, conhecimento de africanos: duas perspectivas sobre os estudos africanos. Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 80, mar. 2008: 149- 160.

LALLEMENT, Michel. História das ideias sociológicas: de Parsons aos contemporâneos. Vol. 2, RJ: Vozes, 2012.

MACAMO, Elísio. A constituição de uma sociologia das sociedades africanas. Estudos Moçambicanos, 2002. Disponível em: http://www.casadasafricas.org.br/wp/wp-content/uploads/2011/08/A-constituicao-duma-sociologia-das-sociedades-africanas.pdf

MATA, Inocência. Estudos pós-coloniais: desconstruindo genealogias eurocêntricas. Civitas, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 27- 42, jan.- abr. 2014.

NETTO, José Paulo. Crise do Socialismo e Ofensiva Neoliberal. São Paulo: Cortez, 2012.

OLORUNTIMEHIN, Olatunji. A política e o nacionalismo africano. In: BOAHEN, A. Adu (editor). História Geral da África- v. VII- África sob dominação colonial. 1880- 1935. São Paulo, Cortez: Brasília, UNESCO, 2007.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas: formas literárias e processo social no início do romance brasileiro – São Paulo; Duas Cidades; Ed. 34, 5ª. Edição. 2000.

SUMICH, Jason. Construir uma nação: ideologias de modernidade da elite moçambicana. Análise Social, vol. XLIII (2ª), 2008, 319- 345. Disponível em: http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1218639505B4yEE8zd4Lm89HK9.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Claudia Kathyuscia Bispo de Jesus

      https://www.sumarios.org/revista/romanitas   http://www.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre

Revista Vox é uma publicação eletrônica semestral mantida pela Faculdade de Direito e Ciências Sociais do Leste de Minas (FADILESTE). ISSN: 2359-5183.
Para melhor visualização recomendamos a resolução mínima de 1024 x 768.