A inserção da teoria pós-colonial para narrativas acerca da América Latina no âmbito das Relações Internacionais.

Matheus Santos da Silva

Resumo


Na medida que os debates acerca de identidade e cultura ganham espaços e relevância para as discussões sobre o sistema global, as teorias tradicionais da Relações Internacionais, progressivamente, deixam de corroborar com diversas questões. Isso, por outro lado, possibilita o pluralismo teórico, posto que novas narrativas aparecem como instrumentos de estudos e análises. Desse modo, considerando o pós-colonialismo como alternativa para entender os países que ficam à margem das ciências sociais, a seguinte pesquisa investiga a América Latina, haja vista que os países latino-americanos possuem laços históricos estreitos com os fenômenos imperialistas e eurocêntricos, o que por consequência reverbera na construção de narrativas e visões de mundo.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALEIXO, José Carlos Brandi. A integração latino-americana: considerações políticas e históricas sobre suas bases, processo e significado. Brasília: Editora de Brasília, 1970.

ALMEIDA, Carolina SocciodiManno de; ELÍBIO JÚNIOR, Antônio Manoel; LIMA, Marcos Costa. Edward Said e o pós-colonialismo. SÆculum: Revista de história, Paraíba, p.451-462, jun. 2013.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, p.89-117, maio 2013.

BOCCA, Pedro Paulo. Livre-comércio dependente, lutas sociais e a formação de um campo antineoliberal na América Latina. 2013. 119 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2017.

BONNICI, Thomas. Avanços e ambiguidades do pós-colonialismo no limiar do século 21. Légua & meia: Revista de literatura e diversidade cultural. Feira de Santana: UEFS, v. 4, no 3, 2005, p. 186-202.

CASTRO, Thales. Epistemologia das Relações Internacionais: Da escola pós- colonialista: análises discursivas e desdobramentos. In: CASTRO,

Thales. Teoria das Relações Internacionais. 2. ed. Brasília: Funag, 2016.

Disponível em

Acesso em: 10 jul. 2017.

CAVALLARI, Bruna. O Diálogo entre Pós-Colonialismo e Relações Internacionais. In: CONGRESO URUGUAYO DE CIENCIA POLÍTICA, 5., 2014, Universidade Federal de Pelotas.

CORONIL, Fernando. Natureza do pós-Colonialismo: do Eurocentrismo ao globocentrismo. Clacso: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Buenos Aires, p.50-62, set. 2005.

DINIZ, Dilma Castelo Branco. O conceito de América Latina: uma visão francesa. Caligrama, Belo Horizonte, p.129-148, dez. 2007. Disponível em: .

Acesso em: 10 maio 2017.

FARRET, Rafael Leporace; PINTO, Simone Rodrigues. América Latina: da construção do nome à consolidação da ideia. Topoi, Rio de Janeiro, p.30-42, jun. 2011.

FIGUEIREDO, Carlos Vinícius da Silva. Estudos subalternos: uma introdução. Raído, Dourados, p.83-92, jan. 2010.

GALEANO, Eduardo. Ser como Eles. Rio de Janeiro: Editora Revan, 1993.

_____. As veias abertas da América Latina. Porto Alegre: L&MPocket, 2010.

GALINDO, George Rodrigo Bandeira; RORIZ, João Henrique Ribeiro. Da teoria à

política: a perspectiva pós-colonial nos estudos de relações internacionais e

direito internacional. In: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS, 5 º., 2015, Belo Horizonte.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais. 2008, p. 115-147.

JATOBÁ, Daniel. Teoria das relações internacionais. São Paulo: Editora Saraiva, 2013.

LANDER, Edgardo. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. Clacso: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Buenos Aires, p.8-23, set. 2005.

MACHADO, João Victor Sanches da Matta. Para (re) pensar a América Latina: a vertente descolonial de Walter D. Mignolo. Revista Brasileira de Geografia Econômica, Rio de Janeiro, v. 5, p.1-5, maio 2014.

MESSARI, Nizar; NOGUEIRA, João Pontes. Teorias de Relações Internacionais: correntes e debates. São Paulo: Saraiva, 2005.

MIGNOLO, Walter. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Clacso: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Buenos Aires, p.33-49, set. 2005.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Edgardo Lander (org). Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina, set. 2005. pp.227-278.

PELLEGRINO, Gabriela; PRADO, Maria Ligia. História da América Latina. São Paulo: Editora Contexto, 2014.

PEZZODIPANE, Rosane Vieira. Pós-colonial: a ruptura com a história única. Revista Simbiótica, Espírito Santo, p.1-11, jun. 2013.

PORTO-GONÇALVES. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Apresentação da edição em português. Clacso: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Buenos Aires, p.3-6, set. 2005.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo. São Paulo: Schwarcz, 1993.

SILVA, Jonathan Duarte. O Mundo Contemporâneo sob uma perspectiva multidimensional. GeoPuc (Rio de Janeiro), v. 8, p. 1-12, 2012.

SIMIONATTO, Ivete. Classes subalternas, lutas de classe e hegemonia: uma abordagem gramsciana. Katál, Florianópolis, v. 12, n. 1, p.41-49, jun.2009.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. The Post-Colonial Critic: Interviews, Strategies, Dialogues. New York: Routledge, 1990.

ZANATTA, Loris. Uma breve história da América Latina. São Paulo: Cultrix, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Matheus Santos da Silva

      https://www.sumarios.org/revista/romanitas   http://www.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre

Revista Vox é uma publicação eletrônica semestral mantida pela Faculdade de Direito e Ciências Sociais do Leste de Minas (FADILESTE). ISSN: 2359-5183.
Para melhor visualização recomendamos a resolução mínima de 1024 x 768.